sábado, 24 de outubro de 2009

VAZIO COVARDE

Reparo você,
assim,

no mesmo lugar, vazio, fútil.
Me parece que o oco tomou conta de você,
pode ser...
Não quero ter tempo para falar seu nome,
nome de infância, falso.

Pra que brilhos se eu sei que no íntimo és fosco e podre?
Sua casca não engana, me enganou um dia, hoje não mais
seu escudo é vulnerável, indefeso e frágil
e as armas que tenho já o venceram.

A batalha terminou
e eu não espero mais nada de você,
covarde!
O dia amanheceu, e tu?
fugiu da guerra que criou...

De tudo ficou o ódio, amargo
machucou e feriu

- mas não deixou feridas
não foste capaz de dizer nada....
como as águas do mar, ficou o salgado
pedaços de sorrisos e só.



(inverno de 2007)

2 comentários:

  1. Por que será que todos os sentimentos que reprimimos são mais dificeis de esquecer?
    Sejam eles bons ou ruins...ficam vagando em nossas mentes por algum tempo ainda.

    ResponderExcluir
  2. LEGAL TEU BLOG... TO SEGUINDO... SIGA-NOS

    LUCRE COMISSÕES E DIVULGUE
    GRÁTIS SEU BLOG AQUI:

    www.psdesigner.com.br/entretenimentos

    OBRIGADO!
    Marcos Roberto

    ResponderExcluir